Incontinência Urinária na Mulher

O que é incontinencia urinária (IU)? 

bladderÉ toda e qualquer perda de urina de forma involuntária. As mulheres sofrem de IU duas vezes mais quando comparado aos homens.      A incidência de incontinência urinária na mulher aumenta com a idade atingindo 25% após a menopausa,porém isso não quer dizer que ao envelhecer você terá IU. Vários são os fatores que contribuem para o aparecimento da IU na mulher: lesões no períneo durante os partos vaginais, diminuição dos hormônios durante a fase de climatério e menopausa, falha nos músculos internos da uretra, etc. Contudo, a IU pode ser tratada e frequentemente curada em qualquer idade.
 
Muitas mulheres sofrem com este problema sileciosamente, por vergonha de contar para seu médico ou por acharem que os vazamentos são "problemas da idade" não procurando desta forma, o tratamento adequado. O resultado é constrangimento e isolamento social podendo também causar depressão e insônia (que vai prejudicando de forma gradativa a qualidade de vida da mulher) caracterizando a IU não apenas como um problema higiênico ou médico mas também social.

Quais os tipos de incontinência urinária?

A IU pode ser classificada em :
stress_incontinence» Incontinência de esforço (IUE) - perda de urina quando se  realiza um esforço (pegar peso) ou em situações como por exemplo: tossir, rir, espirrar, etc. Está geralmente associada a problemas nos elementos do assoalho pélvico (músculos ou tecido de sustentação) ou nos músculos internos da uretra que não resistem a pressão gerada pelo esforço sobre a bexiga.

» Incontinência de urgência - quando a perda urinária vem acompanhada de um forte desejo de ir ao banheiro, apresenta também sintomas de enurese, noctúria e polaciúria. As causas podem ser infecções ou contrações involuntárias causadas por descargas nervosas no músculo da bexiga (bexiga hiperativa) quando esta está enchendo
.
Incontinência mista - quando associa-se os sintomas da IUE e da incontinência de urgência.

» Incontinência de transbordamento - quando a perda urinária é decorrente de uma hiperdistensão da bexiga. A perda urinária é em grande volume e acontece sem o controle do indivíduo. Ocorre frequentemente nos casos de diabetes,problemas neurológicos ou qualquer fator obstrutivo para a uretra.

» Incontinência extra-uretral
- quando o escape de urina não se dá pelo orifício da uretra. A perda urinária ocorre por fissuras entre a bexiga e a vagina ou entre a uretra e a vagina, por exemplo. Pode ocorrer em casos de pós-operatório de cirurgias pélvicas.

Quais os possíveis sinais e sintomas que as mulheres podem apresentar?
bexiga» Perda de urina aos esforços, tais como: tossir, espirrar, rir, pular, correr, levantar pesos,etc.
» Perda urinária durante a relação sexual
» Enurese noturna,
ou seja, você acorda urinada a noite
» Disúria - dor ao urinar
» Urge-incontinência - perda de urina antes de chegar ao banheiro associada com o forte desejo de urinar
» Polaciúria - idas frequentes ao banheiro durante o dia (mais de 6 vezes)  ingerindo a mesma quantidade de líquido
» Noctúria - idas frequentes ao banheiro durante a noite, após ter deitado para dormir (mais que 3 vezes)
» Sensibilidade ao frio - sensação de urgência (vontade forte de ir ao banheiro) associada a exposição ao frio ou a água fria. Algumas mulheres podem sentir urgência apenas com o barulho da água.

Devido a perda de urina, deve-se diminuir a ingesta de líquidos?

women_drinking_coffee_staffroomNÃO. Algumas mulheres tentam diminuir a perda urinária restringindo a ingesta de líquidos. Contudo, beber pouco líquido resulta em uma urina mais concentrada que pode irritar a bexiga. As mulheres devem ser encorajadas a beber uma grande quantidade de líquido durante o dia e restringi-la à noite.

Qual o tratamento para a incontinência urinária?
» Fisioterapia do assoalho pélvico - os recursos terapêuticos usados pela fisioterapia são indicados como tratamento de primeira linha para a incontinência de esforço. Durante o enchimento da bexiga os músculos do assoalho pélvico (também conhecidos como períneo) evitam o vazamento de urina. A tensão  destes músculos também evitam a contração involuntária do músculo da bexiga durante o seu enchimento. Os exercícios perineais servem para fortalecer estes músculos evitando o vazamento. 
» Medicamentos - são indicados com o objetivo de controlar as contrações involuntárias do músculo da bexiga ou reforçar a tensão do músculo interno da uretra. Alguns medicamentos possuem efeitos colaterais como boca seca, visão turva,etc. Lembre-se que nem todo medicamento é indicado para algumas mulheres, por isso é imprescindível que o médico prescreva o remédio certo após uma avaliação do seu caso.
» Tratamento comportamental- mudanças nos hábitos de vida, alimentação e idas ao banheiro podem ser úteis para auxiliar o tratamento da IU. O seu médico ou fisioterapeuta lhe orientarão sobre quais procedimentos serão adequados para seu caso.
 » Injeções periuretrais - são usadas principalmente nos casos de incontinência urinária de esforço. Substâncias como colágeno, teflon ou gordura corporal são injetados na uretra para aumentar a resistência à pressão causada pelos esforços.
» Pessários - são dispositivos inseridos na vagina para elevar a bexiga e evitar a perda urinária. São indicados nos casos de "bexiga baixa" quando a mulher não pode ser submetida a cirurgia para correção.
» Dispositivos intra-uretrais- consiste em pequenos plugs que são inseridos na uretra e retirados quando se deseja urinar
» Toxina botulínica (botox) - indicada para o tratamento da bexiga hiperativa refratária a outros tratamentos. A o músculo da bexiga fica relaxado e o esvaziamento deve ser feito através de cateterismo intermitente.
» Cirurgia-  quando outras opções falham ou quando há uma lesão nos elementos de suporte da bexiga a cirurgia é uma excelente escolha para o tratamento da IU. Várias são as técnicas usadas: elevação da bexiga, colocação de uma alça embaixo da uretra feita com tecido do corpo da mulher ou material sintético (slings), implante de eletrodos nos nervos que controlam a bexiga (neuromodulação) ou expansão da bexiga. As abordagens cirúrgicas podem ser por via abdominal, pela vagina ou por ambos (técnica combinada). O seu médico saberá escolher a melhor conduta para seu caso.

 
 
  Site Map